Saia da zona de conforto, cruze os mares!

por Germano Martiniano 1.047 views0

Cruze os mares

Quantos de nós jovens, durante a faculdade ou mesmo recém-formados, não pensamos em fazer intercâmbio? O mundo globalizado, as facilidades de comprar passagens parceladas no cartão, as bolsas atraentes de estudo, oportunidades de se aprender uma nova língua, lugares, pessoas e culturas diferentes… Tudo isso contribui para aumentar nosso desejo de cruzar os mares. Mas o que de fato podemos aprender e como morar fora pode contribuir para nossa busca profissional e autoconhecimento?

A primeira vez que morei fora foi aos 18 anos de idade, quando fui morar em Sydney, na Austrália, por 10 meses. Na época eu estava fazendo cursinho para passar no vestibular, mas cada vez que eu abria um livro para estudar eu me perguntava: “O que estou fazendo? Onde quero chegar?”.

Como eu não tinha respostas para essas perguntas, resolvi dar um tempo e realizar o sonho de morar fora e ver o que eu queria mesmo para minha vida. Na Austrália aprendi inglês, lavei pratos, privadas e, no final, me tornei auxiliar de chefe de cozinha. Quanta experiência. Quantas amizades. Voltei certo do que queria? Certezas não temos nenhuma em nossas vidas, mas voltei mais maduro e com mais autoconhecimento, o que me ajudou a fazer minhas escolhas quando voltei ao Brasil: fiz Relações Internacionais na UNESP/Franca.

Veja também:  Participe da feira gratuita sobre universidades britânicas

O meu segundo intercâmbio foi durante a faculdade, quando consegui uma bolsa para estudar Ciências Sociais e Administração na Espanha. Mais uma experiência incrível, aprendi espanhol, aprendi mais sobre a cultura espanhola e europeia e, além disso, fiz um mochilão, indo de um país para outro de trem, ônibus e avião. Quanta aventura. E o que aprendi? Mais uma vez na minha vida, fui colocado fora da minha zona de conforto (aquele lugar onde temos tudo o que precisamos na hora que precisamos). São nesses momentos que entramos em contato com nossos pontos fortes e nossas fraquezas e, assim, nos conhecemos melhor.

Claro que morar fora do país não é a única maneira de se encontrar, mas cruzar os mares ajuda em nosso crescimento pessoal e profissional. Se posso passar algo de minhas experiências é que devemos aproveitar os intercâmbios para nos conhecermos melhor, vendo o que nos motiva, o que nos entristece, o que fazemos com facilidade e com prazer e o que nos traz desprazer. Morar fora do país facilita este descobrimento. Se você tem dúvidas, experimente!