Sexta-feira, 24 de Agosto de 2012 - 18h26

Fisioterapia

Saiba quais são os campos de atuação do Fisioterapeuta e conheça as áreas dessa profissão que vão bombar




O envelhecimento da população brasileira, a preocupação das empresas com a saúde de seus funcionários e a realização de grandes eventos esportivos no Brasil como a Copa do Mundo e as Olimpíadas fazem da Fisioterapia uma das profissões que vão bombar nos próximos anos.

O Ligado na Facul conversou com a professora Francine Lopes Barretto Gondo, Diretora do curso de Fisioterapia da Universidade Cidade de São Paulo – UNCID, que avaliou o mercado de atuação do profissional de Fisioterapia e ainda deu dicas preciosas de como se dar bem na escolha da facul.

Ligado na Facul - Quais são as áreas de atuação do profissional de Fisioterapia?

Francine Lopes Barretto Gondo - Atualmente, estão em destaque atuações em Saúde Coletiva, com evidência para a saúde da comunidade; em Fisioterapia Gerontológica, por causa do envelhecimento da população brasileira, e em Fisioterapia do Trabalho, devido a preocupação das empresas com a saúde de seus funcionários. A Fisioterapia Esportiva também está em ascensão em virtude da realização de competições de grande porte no Brasil, como a Copa do Mundo a as Olimpíadas.


LNF - Quais são as áreas mais promissoras?

FLBG - Uma delas é a Saúde Coletiva. Acredito que se todas as Unidades Básicas de Saúde efetivassem suas vagas, não teríamos fisioterapeutas em número suficiente no mercado para ocupá-las. A Fisioterapia Gerontológica também é interessante no momento em que se observa o envelhecimento da população brasileira. Uma vez que esses indivíduos permanecem ativos por mais tempo, a Fisioterapia ganha espaço com a manutenção das condições de saúde e as propostas para melhorar as potencialidades atuais e auxiliar nas eventuais dificuldades inerentes à faixa etária.


LNF - Como encontrar uma boa facu nessa área?

FLBG - Segundo a orientação do MEC, a carga horária deve ser de no mínimo quatro mil horas e o curso precisa oferecer 800 horas de estágio supervisionado. Este é o primeiro ponto a se observar. Além disso, é importante conhecer o projeto pedagógico para não ter surpresas ao longo da trajetória acadêmica. Espera-se que o aluno tenha contato com a prática em uma evolução crescente do nível de complexidade, desde o primeiro semestre de estudo. É recomendado, ainda, conhecer o que pensa o mercado de trabalho, e, neste ponto, consultar ex-alunos, alunos atuais, instituições, pacientes, clínicas, médicos e fisioterapeutas, que podem ser excelentes referências.


LNF - Qual a infraestrutura compatível com as exigências do mercado que a facul deve oferecer?

FLBG - É necessário oferecer aos alunos salas de aulas adequadas, laboratórios para atendimento das necessidades de treinamento técnico-prático, recursos tecnológicos apropriados e em quantidade suficiente para o número de alunos e clínica escola para facilitar o acesso à prática desde o início do curso (o que verdadeiramente faz o aluno sentir-se na profissão desde o começo de sua formação). Além da infraestrutura, é fundamental analisar a qualidade do projeto pedagógico e dos professores que compõem o corpo docente, pois sem eles não há estrutura adequada para a formação do aluno.


LNF - Como as Olimpíadas e a Copa do Mundo no Brasil podem impulsionar o mercado para o Fisioterapeuta?

FLBG - Eventos desta magnitude aumentam a expectativa de estudantes apaixonados pelo esporte, o que, de certa maneira, amplia a divulgação da carreira, que é indispensável neste meio. Podem sim surgir novas oportunidades mediante a divulgação que a Fisioterapia Esportiva tem nestes momentos, mas vale acrescentar que ainda é uma área muito disputada. Entretanto, para aqueles que se diferenciam em sua formação, há sempre a possibilidade de ingresso neste segmento.


LNF - Para fazer Fisioterapia, do que o jovem precisa realmente gostar?

FLBG - É indispensável gostar de lidar com pessoas. O fisioterapeuta deve ser curioso e gostar de resolver problemas com soluções criativas. O jovem, ao escolher essa profissão, precisa estar consciente quanto à eterna necessidade de estudar e de se atualizar, pois a atualização tem se mostrado o grande diferencial dos profissionais de saúde, assim como o uso de ferramentas tecnológicas. Inclusive, existem bibliotecas online que disponibilizam conhecimentos válidos que colaboram, por exemplo, para a seleção de uma conduta de tratamento, com acesso também para os pacientes, que passam a ter informações suficientes para discutir com o fisioterapeuta as melhores terapias.


LNF - Qual é o maior desafio para um Fisioterapeuta?

FLBG - Os maiores desafios são: atualização constante; mesmo com um dia a dia muito agitado, ter princípios éticos, e dedicar-se para obter os melhores resultados possíveis para cada paciente. Vale lembrar que os fisioterapeutas são os facilitadores, mas o paciente é o responsável, na maioria das vezes, pelo sucesso que se pode alcançar.


LNF - Existe algum tipo de situação que você considere difícil e que o jovem precisa estar preparado para lidar nessa carreira?

FLBG - Sim. É preciso saber lidar com situações inesperadas a partir de uma sólida construção de conhecimento. Portanto, o grande segredo para ser um bom profissional é ter muita dedicação ao estudo.


Fique ligado!
Acerte na escolha da facul. Clique aqui e saiba mais.

Por Ricardo Augusto Lombardi
+ Papo de Profissional  |  Compartilhar | 
+

Copyright© 2014 | ligadonafacul.com.br | Todos os direitos reservados / All rights reserved.