Como é ter a primeira experiência de intercâmbio?

Maria Fernanda, estudante de cinema de 18 anos, contou para o Ligado na Facul como foi fazer intercambio pela primeira vez

por Juliana Maffia 1.186 views0

f4674

O intercâmbio é uma experiência que pode mudar sua forma de ver o mundo. Todos que têm a oportunidade de fazer uma viagem para fora dizem que voltam com uma outra cabeça, independente de quanto ela irá durar e para onde a pessoa irá.

Foi pensando em mostrar quais os aprendizados você pode adquirir que conversamos com Maria Fernanda, uma Paulista de 18 anos, que aproveitou seu intercâmbio para melhorar seu inglês em Toronto no Canadá.

 

Ligado na Facul: Por que você resolveu fazer intercâmbio?

Maria Fernanda Pavanello: Quase ao final do curso de inglês eu estava cansada do método tradicional das escolas e idiomas e decidi investir no meu futuro, fazendo intercambio para melhorar a minha fluência em Inglês.

 

Ligado na Facul: Para onde foi e quanto tempo ficou?

Maria Fernanda: Fui para Toronto no Canadá, fiz um curso intensivo de inglês com uma grande quantidade de aulas por dia. Me hospedei em uma casa de família com outros três intercambistas. Viajei para outras cidades para conhecer melhor o Canada.

 

Ligado na Facul: Quais foram os maiores aprendizados dessa experiência?

Maria Fernanda: Eu acho que o principal foi aprender a se virar sozinho. O fato de estar morando com pessoas de culturas diferentes, melhorou meu senso de adaptação e me fez voltar com a cabeça aberta às diferenças.

Veja também:  Participe da feira gratuita sobre universidades britânicas

 

Ligado na Facul: Como profissional, você se sente mais preparado para encarar o mercado de trabalho após ter tido essa experiência?

Maria Fernanda: Me sinto mais completa e confiante. Não basta ter o conhecimento da língua é interessante ter uma vivência fora, uma fluência adquirida em outro país.

 

Ligado na Facul: Quais são os maiores desafios ao fazer um intercâmbio?

Maria Fernanda: A locomoção foi um pouco difícil no começo, até mesmo nos aeroportos (que são enormes) era difícil de me encontrar. Tive um medo inicial, a primeira pessoa com quem conversei não entendeu o que eu falei mas depois me adaptei. Por fim, com esta experiência nova, dei a cara a tapa. Me conheço melhor, estou preparada para os próximos desafios que possam ocorrer.

Juliana Maffia

Formada em Jornalismo e há cinco anos cuidando do Ligado na Facul, começou no portal pelo amor ao mundo digital e à escrita. Hoje, editora-chefe, o que mais a agrada é a chance de impactar universitários com o conteúdo produzido pelo site.